tempestade solar registrada pela NASA
    Créditos: Microsoft/Copilot

    O Espaço é sem dúvidas um local fascinante e cheio de mistérios. Recentemente, a NASA publicou um estudo sobre uma tempestade solar gigantesca, que iluminou o espaço e atingiu simultaneamente diversas sondas.

    O evento aconteceu no dia 17 de abril de 2021, sendo caracterizado pela erupção de uma nuvem de material solar. O evento foi tão grande que a tempestade solar resultou na ejeção de massa coronal – nuvem de plasma solar (CME) – que foi captada por cinco diferentes sondas espaciais.

    tempestade solar NASAtempestade solar NASA
    CRÉDITOS: NASA/ESTÉREO-A/COR2

    ENTENDA A IMAGEM: A imagem divulgada pela NASA coloca o Sol no centro, com um formato completamente preto e circular. Dessa forma, as sondas são capazes de registrar com maior precisão os detalhes da ejeção de massa coronal.

    A tempestade solar atingiu a sonda BepiColombo, além da MAVEN e também a Mars Express. Com os dados das diferentes sondas, a Agência Espacial Americana conseguiu registrar a formação das nuvens de plasma durante a ejeção de massa coronal.

    De acordo com os pesquisadores, as emissões da tempestade solar sugerem a existência de quatro grupos de explosões de partículas, todas em direções diferentes. Os resultados foram publicados na revista científica Astronomics and Astrophysics.

    tempestade solar NASA gráficotempestade solar NASA gráfico
    Imagem mostra posição das sondas e raio da tempestade solar (CRÉDITOS: NASA)

    Os pesquisadores acreditam que os dados da tempestade solar de 2021 vão ajudar nas pesquisas sobre o fenômeno. Dessa forma, é possível acompanhar com maior precisão a atividade do Sol, além de saber exatamente quais os impactos de uma futura ejeção de massa coronal sem precedentes.

    Do mesmo modo, estudar a tempestade solar é importante, pois elas podem causar danos aos satélites, atrapalhando nossos sistemas de comunicação. Com mais informações, os cientistas e engenheiros podem prevenir possíveis problemas de tempestades futuras.

    A NASA continua estudando o espaço, com o auxílio de sondas, satélites e parcerias com outras agências, como a ESA. Recentemente, a agência também postou recentemente uma foto do Ingenuity, que está abandonado em Marte e não pode mais voar por causa de um dano estrutural. Mesmo assim, o Ingenuity realizou seu trabalho enquanto pode, registrando imagens bem curiosas do planeta vermelho.

    Fonte: NASA, Astronomics and Astrophysics

    Share.