Inteligência Artificial revoluciona desenvolvimento de baterias
    Créditos: Roberto Sorin/Unsplash

    Pesquisadores da Microsoft e do Pacific Northwest National Laboratory (PNNL), nos Estados Unidos, fizeram uma descoberta inovadora para a indústria da bateria. Com a ajuda de inteligência artificial e supercomputadores, eles identificaram o N2116, um novo material que reduz o uso do lítio em baterias em até 70%.

    O lítio, apelidado de “petróleo branco”, é um componente crucial das baterias de íons de lítio. Além disso, servem para alimentar desde veículos elétricos até smartphones. No entanto, a crescente demanda por lítio e os desafios ambientais associados à sua extração têm levado à busca por alternativas sustentáveis.

    O processo de descoberta do N2116 aconteceu após a inteligência artificial e os supercomputadores conseguirem analisar mais de 32 milhões de materiais orgânicos em menos de uma semana. Os pesquisadores conseguiram reduzir para 18 candidatos antes de dar continuidade à pesquisa.

    Foto: CHUTTERSNAP/Unsplash

    Conforme revelado pelo estudo, o N2116 é um eletrólito sólido. Ele foi testado em um protótipo de bateria funcional, onde demonstrou potencial para se tornar uma solução sustentável para o armazenamento de energia.

    As baterias de estado sólido, diferentemente das atuais que usam lítio líquido ou em gel, são mais seguras e prometem maior densidade energética e milhares de ciclos de carga.

    Jason Zander, vice-presidente executivo da Microsoft, destacou a importância dessa descoberta. Segundo ele, a tecnologia pode comprimir séculos de descobertas científicas em décadas, revolucionando a forma como a ciência é conduzida no futuro.

    A demanda por lítio tem crescido de maneira considerável nos últimos anos. Previsões realizadas por especialistas sugerem que há a possibilidade de o material já passar por escassez a partir de 2025. A Agência Internacional de Energia estima que a demanda por baterias deste material aumentará 10 vezes até 2023.

    Entre os principais usos está em carros elétricos, que deve aumentar a demanda de maneira considerável neste período. Entretanto, outros produtos também acabam fazendo uso do recurso. Recentemente, por exemplo, JBL revelou caixas de som portáteis que trocam de bateria.

    A mineração de lítio, no entanto, enfrenta críticas devido ao seu impacto ambiental. O processo exige grandes quantidades de água e energia, além de alterar paisagens e deixar resíduos tóxicos. Por isso os cientistas veem urgência em encontrar alternativas mais sustentáveis.

    Fonte: BBC

    Share.