Veja as especificações de bateria do Apple Vision Pro
    Créditos: Divulgação/Apple

    Dias depois de ser enviado para jornalistas e influenciadores, o Apple Vision Pro começou a ganhar detalhes que não foram divulgados pela empresa. Desta vez, as informações são da bateria que acompanha o aparelho.

    A fonte de energia externa tem uso obrigatório — ou seja, ele não pode ser ligado direto na tomada. Além disso, muitos usuários relatam que ele é maior do que o esperado, o que torna a experiência de transportá-lo ou posicioná-lo menos confortável.

    Além disso, o jornalista Ray Wong descobriu uma adição curiosa e controversa da Maçã no componente. Após retirar o cabo que liga a bateria ao headset, em um processo difícil que exigiu o mesmo acessório usado para remover chips eSIM de celulares, Wong notou que o conector usado não é o USB-C em ambos os lados.

    Na verdade, para ligar a bateria, a Apple optou por utilizar um cabo Lightning em um formato que nunca foi visto em outros dispositivos da empresa. A saída é mais grossa do que acessórios semelhantes de iPads e iPhones — sendo que todos os modelos mais recentes hoje já usam o padrão USB-C.

    Na outra ponta, a conexão do cabo com uma fonte de energia sugerida pela própria Maçã é o USB-C.

    Essa é, inclusive, uma possível teoria sobre o porquê de o Apple Vision Pro ainda não ser vendido na União Europeia. A região foi justamente quem obrigou a Maçã a adotar o USB-C por motivos de economia e sustentabilidade com uma legislação que entra em vigor em 2024.

    Também na rede social X, o perfil @aaronp613 compartilhou os detalhes técnicos da bateria. O que mais surpreende é a capacidade de armazenamento de energia de 3.166 mAh, um valor relativamente baixo para o um aparelho que exige bastante consumo e um acessório deste tamanho.

    Para efeitos de comparação, smartphones top de linha atuais contam com bateria de cerca de 5.000 mAh. A duração da energia do headset, segundo quem já testou o produto, é de no máximo duas horas e meia de uso contínuo com vídeo.

    O case de alumínio tem ainda 35.9 Wh e uma saída de energia de 13V e 6A operando no máximo. Aqui mora um segredo dessa bateria: a tensão elétrica é alta e o potencial de envio de energia dessa bateria faz com que ela seja tão capaz quanto um modelo com quase o triplo de mAh.

    Apesar dos números, a bateria agora se junta à lista de componentes polêmicos do headset, que incluem também o seu alto conserto, a falta de aplicativos de streaming de peso como a Netflix e a tela inicial sem possibilidade de personalização.

    O cabo traseiro é obrigatório e conecta o headset com a bateria. (Fonte da imagem: Reprodução/Apple)

    O Appel Vision Pro começa a ser vendido nesta terça-feira (2) nos Estados Unidos a partir de US$ 3,4 mil — aproximadamente R$ 17 mil em conversão direta de moeda. Na pré-venda, foram mais de 200 mil unidades reservadas em apenas dez dias. Por enquanto, não há previsão de lançamento para outros mercados.

    Fonte: Ray Wong/X, Aaron/X

    Share.