Créditos: Dronetag/Reprodução

    A startup tcheca Dronetag acaba de anunciar o seu novo módulo de apenas cinco gramas Remote ID que pode ser usado em qualquer drone.

    Pensado para pilotos de drones FPV não comerciais, o lançamento pretende ser uma solução simples para aqueles que terão que operar algum drone nos Estados Unidos.

    Operadores de drones que não tenham finalidade comercial – operando em grandes indústrias – que pretendem alçar voos em território norte-americano agora podem optar por utilizar o novo módulo Remote ID da Dronetag, que pesa apenas cinco gramas.

    A FAA (Federal Aviation Administration) órgão que regula o espaço aéreo nos Estados Unidos implementou uma regulamentação que entra em vigor já no dia 16 de março em que todos os drones em operação no país devem ter uma identificação de fácil acesso: a Remote ID.

    Mirando este público, o Dronetag BS Gen 2 surge como uma opção para aqueles que ainda não não resolveram essa questão. Essa solução autônoma alimentada por bateria LiPo (entrada de até 17V) pesa apenas 5 gramas e custa US$ 99, num pacote que inclui gabinete, bateria, carregador e antenas.

    Além de ser a solução mais leve do mercado, ela está de acordo com as diretrizes da FAA e as regras de identificação remota definidas pela Agência de Segurança da Aviação da União Europeia (EASA) – não restringindo sua utilidade apenas ao mercado norte-americano.

    Ao desenvolver a segunda geração do Dronetag BS, investigamos profundamente as perspectivas e desejos dos entusiastas de drones e pilotos amadores em todo o mundo. Através de extensas pesquisas em fóruns, discussões ativas e monitoramento de mídias sociais, obtivemos informações valiosas sobre as verdadeiras necessidades da comunidade de drones. Essa riqueza de conhecimento foi transformada em um componente de hardware que redefine o cenário tecnológico do mercado de Remote ID.

    Lukáš Brchl, CEO da Dronetag

    Já para usuários de drones comerciais a Dronetag pode oferecer o Beacon, um módulo mais premium e robusto. Essa solução conta com mais recursos, opções de montagem e desmontagem mais convenientes e bateria de longa duração com porta USB-C dedicada para carregamento.

    Beacon é para pilotos profissionais que desejam uma solução que simplesmente funcione em todos os casos. Por outro lado, o combo BS é para pilotos recreativos que se preocupam principalmente com o preço e estão dispostos a sacrificar algum nível de conveniência do usuário por uma alternativa mais barata.”

    Lukáš Brchl, CEO da Dronetag

    Já falamos sobre o Remote ID aqui no Mundo Conectado, caso você queira entender melhor o sistema de placa digital para drones.

    FONTE: Dronetag VIA: Drone DJ

    Share.