Créditos: Samsung/Reprodução

    A nova tecnologia de som surround, IAMF, desenvolvida pela Samsung, que irá competir com o Dolby Atmos, deve chegar ainda em 2024.

    O Immersive Audio Model and Formats, ou IAMF, é desenvolvido pela empresa sul-coreana em parceria com o Google e chegará a linha de TVs e outros produtos de áudio da Samsung neste ano.

    Anunciada em novembro de 2023, a nova tecnologia de áudio espacial 3D, chamada IAMF, deve desembarcar no catálogo da Samsung e outros produtos que utilizem o Dolby Atmos. A novidade aqui é que o IAMF é uma tecnologia de código aberto, o que pode ser interessante para aqueles que não queiram ou não podem pagar pela certificação do Dolby Atmos.

    Diferente de tecnologias tradicionais de som surround 5.1 e 7.1 – que se limitam a reproduzir sons horizontalmente – o Dolby Atmos e o IAMF trabalham também de forma vertical, direcionando seu som para vários pontos diferentes, o que torna a experiência mais envolvente e realista.

    Apesar de ter surgido no cinema e ser muito utilizado em filmes até hoje, dispositivos domésticos fazem uso desta tecnologia há algum tempo, inclusive produtos da Samsung, como a linha de smartphones Galaxy, incluindo a nova série S24. Mas, como implementar o Dolby Atmos resulta em gastos adicionais, a Samsung desenvolveu uma alternativa própria para acessar essa tecnologia.

    O IAMF é uma tecnologia que reproduz o som verticalmente e horizontalmente, e que adiciona algumas novidades em relação ao Dolby Atmos. A Samsung irá implementar recursos baseados em AI para detecção mais precisa de onde o áudio está vindo em uma cena, enfatizando elementos de áudio, como diálogos em filmes, jogos e outras mídias, para maior clareza e flexibilidade.

    A Samsung ainda não revelou quais de TVs e sistemas de áudio/soundbars receberão o IAMF em 2024. É possível que qualquer dispositivo que suporte o Dolby Atmos e que seja passível de atualização de firmware possa receber a tecnologia em algum momento. Mas também pode ser que a Samsung limite os produtos que receberão a tecnologia em seu lançamento.

    Com a Google como parceria no desenvolvimento, o YouTube também receberá suporte a tecnologia em seu lançamento, mas limitado a apps e TVs capazes de reproduzir o recurso, deixando sua versão web de fora num primeiro instante.

    VIA: Flat Panels HD

    Share.