Créditos: hisuccc/Unsplash

    O Google está considerando implementar cobranças por acesso aos resultados de busca que utilizem ferramentas de inteligência artificial generativa. A informação foi revelada pelo Financial Times, que dosse ter ouvido “três pessoas com conhecimento dos planos” da empresa.

    Leia mais

    A possibilidade de cobrar por qualquer parte do mecanismo de busca será uma mudança significativa na abordagem da gigante de tecnologia. Isso porque desde 2000 eles não cobram pelo núcleo do motor de busca, fazendo com que o financiamento aconteça exclusivamente por publicidade.

    Foto: Solen Feyissa/Unsplash

    Entretanto, a prática de cobrar por melhorias em IA não é nova para a Google. A empresa já oferece um plano AI Premium no Google One, que custa US$ 10 a mais por mês que o plano Premium padrão.

    Além disso, Gemini Business adiciona US$ 20 mensais a uma assinatura padrão do Google Workspace. Esses produtos pagos fornecem acesso ao modelo avançado de IA Gemini Advanced da Google, enquanto a versão básica do modelo Gemini permanece acessível gratuitamente, sem a necessidade de uma assinatura paga.

    Segundo o que foi reportado pelo Financial Times, a proposta da Google mantém a busca tradicional sem custos, enquanto introduz uma assinatura paga para a pesquisa potencializada por IA, mantendo a presença de anúncios.

    O desafio está em equilibrar as receitas, visto que os anúncios de pesquisa, embora lucrativos, podem não compensar o aumento de custos vinculado às funcionalidades avançadas de IA.

    De acordo com um estudo da Reuters, a execução de buscas através de sistemas neurais complexos, como o Gemini, poderia representar um gasto dez vezes superior ao de pesquisas tradicionais, implicando em despesas bilionárias adicionais para a rede da Google.

    O interesse do mercado por essa tecnologia avançada de busca, entretanto, permanece incerto. A Microsoft, mesmo com investimentos expressivos em IA para o seu motor de busca Bing, não conseguiu alterar significativamente a dominância de mercado da Google.

    Foto: Pawel Czerwinski/Unsplash

    Como se isso já não fosse problemático o suficiente, a experiência de pesquisa generativa da Google, que incorpora respostas de chatbot, não atraiu uma adesão significativa dos usuários.

    O aumento na procura do setor de tecnologia por inovações em IA generativa pode acelerar a decisão da Google de integrar tal tecnologia em um produto de busca diferenciado. Contudo, informações do Financial Times indicam que a Google ainda não definiu se avançará com a iniciativa de busca paga baseada em IA.

    Além dessas considerações, a Google enfrenta desafios no aprimoramento da qualidade dos resultados de busca. Entre eles está o combate aos conteúdos gerados por IA de baixa qualidade.

    A companhia recentemente descontinuou algumas funcionalidades de geração de imagem do seu modelo Gemini de IA, após identificar a inclusão de elementos historicamente imprecisos em suas respostas.

    Fonte: Arstechnica

    Share.