DJI bloqueio drones eua
    Créditos: Copilot

    A DJI, líder mundial em vendas de drones, vem enfrentando pressão constante com medidas estatais e federais proibindo a utilização e compra de seus drones nos Estados Unidos. Esse é mais um capítulo da eterna guerra comercial entre EUA x China.

    Assim como já aconteceu com a Huawei, a gigante dos drones poderá sofrer bastante se a proposta de bloqueio da empresa for oficialmente aprovada e aplicada.

    O impacto econômico do bloqueio da DJI nos EUA poderia alcançar valores estimados em US$116 milhões de dólares

    Toda a briga consiste em alguns políticos e órgãos defenderem que a DJI é um risco para a segurança dos Estados Unidos, sugerindo que a empresa vaza dados para autoridades chinesas, mesmo que essa acusação nunca tenha sido fundamentada.

    Um projeto de lei busca bloquear efetivamente a operação de drones da DJI em todo os Estados Unidos. Se aprovada, a medida vai gerar um impacto profundo na DJI e refletir em todo o cenário global.

    Em uma entrevista para o site DroneDJ, Adam Welsh, chefe de política global da DJI, esclareceu o atual cenário da disputa da DJI para se manter atuando no mercado americano.

    • Apesar da pressão, a DJI continua crescendo nos EUA
    • Clientes empresariais operam por suas diretrizes corporativas de segurança e proteção e confiam nos produtos e serviços da DJI
    • O cenário atual é muito difícil para manter conversas com meios de comunicação e órgãos governamentais
    • O lobby de empresas americanas para proibir drones da DJI gera um impacto muito negativo na comunidade de drones
    • Em uma entrevista com empresas que oferecem serviços de drones nos EUA, dois terços falaram que fechariam as portas em um eventual bloqueio da DJI
    • O impacto econômico do bloqueio da DJI poderia alcançar valores estimados em US$116 milhões de dólares

    Questionado sobre quanto na opinião da DJI essas preocupações são legítimas em se tratando de espionagem da China, Welsh questiona: “se de fato segurança é a preocupação, porque nenhum órgão americano procura a DJI a fim de discutir sobre mudanças que julguem necessárias?

    Welsh ainda reforça que basta falar a palavra “China” para deixar todos irritados, sugerindo que o problema é único e exclusivo para bloquear a empresa líder de mercado no segmento de drones, por ser empresa chinesa.

    Os órgãos governamentais e de segurança utilizam drones específicos para as finalidades necessárias, com modelos da linha Enterprise, entre eles o Mavic 3E (Enterprise) e o Mavic 3T (Termal).

    Drones Mavic 3E e Mavic 3T

    DJI: O bloqueio não é questão de segurança, mas sim de disputa comercial contra a China

    A entrevista segue o que muitos que acompanham o mundo de drones já veem a muitos anos: uma defesa constante da DJI buscando responder e reforçar suas práticas de segurança e legalidade, contra políticos e órgãos americanos acusando a DJI de atacar a segurança dos EUA. Vale lembrar que, até o momento, sem comprovações em nenhuma área.

    Em um eventual bloqueio, outras empresas Chinesas de drones como a Autel Robotics, também sofreriam das mesmas sanções de bloqueio de venda de seus produtos em solo americano.

    Ainda é incerto o quanto um eventual bloqueio da DJI por órgãos públicos, como polícia e outros setores de segurança, impactaria a curto prazo para o mundo dos drones de consumidores. Fato é que o mercado americano é o maior do mundo tanto no segmento de órgãos governamentais, como empresarial e de consumo.

    Um bloqueio de venda nos EUA afeta diretamente a vida de uma empresa. A Huawei que o diga. Próxima de se tornar a maior empresa em vendas de celular do mundo, ela foi impactada diretamente após ser banida nos EUA, ficando hoje limitada ao mercado chinês.

    Qualquer empresa que tiver um corte grande de investimento terá que repensar sua estratégia de negócios a fim de continuar evoluindo na área que atua. O lado a favor da DJI é que ela domina de forma absoluta o segmento de drones para consumidores.

    Veja a matéria completa no site DroneDJ clicando aqui.

    Share.