Amazon Prime
    Créditos: Divulgação/Amazon

    A Amazon entregou pacotes aos seus clientes Prime com a maior velocidade de todos os tempos em 2023, disse a varejista nesta terça-feira (30). A empresa atribuiu o resultado a melhorias no gerenciamento de estoque, crescimento de sites de entrega no mesmo dia e um novo modelo de regionalização.

    Nos últimos três meses de 2023, a Amazon aumentou o número de itens entregues no mesmo dia ou durante a noite nos EUA em mais de 65% em relação ao ano anterior. Mais de 70% dos pedidos Prime chegaram no mesmo dia ou no dia seguinte do outro lado do Atlântico, no Reino Unido.

    No geral, a Amazon disse que entregou 7 bilhões de itens com remessa no mesmo dia ou no dia seguinte no ano passado. A empresa se recusou a fornecer números comparáveis sobre os dados de remessa de 2022.

    Amazon tem planos de cobrar pelo uso da Alexa no futuro

    A gigante do comércio eletrônico atribuiu as entregas mais rápidas a melhorias no gerenciamento de estoque e ao crescimento de seus sites de entrega no mesmo dia. Atualmente, a empresa tem 55 desses locais em áreas metropolitanas nos EUA, com planos de adicionar mais nos próximos anos.

    O envio mais rápido também está sendo impulsionado por uma nova rede de operações, que divide o país em regiões menores e envia itens a partir dessas áreas. O novo modelo – que segue um boom pandêmico na área de logística da empresa e cortes subsequentes – também ajuda a Amazon a reduzir os custos, já que os pacotes percorrem uma distância menor e têm menos pontos de contato.

    Amazon anuncia demissões em massa em estúdios e na Twitch

    Sarah Mathew, vice-presidente de experiência de entrega da Amazon, disse em uma entrevista que a varejista on-line está analisando continuamente suas regiões – incluindo os prédios e estoques dentro delas – e planeja refiná-las para melhor atender aos clientes.

    Mas, apesar do foco da Amazon na velocidade, alguns clientes rurais do Prime reclamaram da demora na entrega. A empresa conta com prestadores de serviços independentes, bem como com transportadoras como a UPS, para enviar os pedidos aos clientes. Ela também está recrutando pequenas empresas que possam ajudá-la a entregar diretamente em áreas rurais de difícil acesso.

    Mathew disse que a empresa está prestando atenção às experiências anedóticas dos clientes, mas não vê uma “tendência geral” que mostra uma desaceleração.

    O foco da Amazon na velocidade a colocou na mira dos defensores do trabalho, que argumentam que os armazéns em ritmo acelerado da empresa levam a mais lesões entre os trabalhadores do armazém. Os dados mais recentes da empresa, de 2022, mostram que a taxa de lesões ou doenças ocorridas entre a força de trabalho da Amazon nos EUA caiu naquele ano. Mas ainda era maior do que em 2020.

    No ano passado, a Amazon começou a testar um sistema de armazenamento robótico chamado Sequoia, que coloca o estoque em sacolas e o apresenta aos funcionários para que eles não precisem se curvar ou se esticar tanto. A empresa afirma que o robô também reduz em 25% o tempo necessário para processar um pedido.

    A Amazon está planejando implantar o Sequoia em mais armazéns este ano. Ela se recusou a dizer quantas instalações serão beneficiadas por ele.

    Fonte: AP

    Share.