Créditos: Divulgação/Google

    O Google anunciou nesta semana um avanço significativo no uso da inteligência artificial (AI) para conseguir prever desastres naturais. Eficiente principalmente em casos de inundações fluviais, desastre natural mais comum em todo o mundo, ele consegue detectar e emitir alertas com até sete dias de antecedência.

    Leia mais

    O Google precisou treinar modelos de aprendizado de máquina com uma variedade de dados. A empresa utilizou registros históricos de eventos, medições do nível dos rios, leituras de elevação e terreno, além de outros recursos para conseguir suprir os desafios de fazer as previsões.

    Com todos os dados reunidos, a empresa criou mapas localizados de rios de todo o mundo e realizou “centenas de milhares” de simulações em cada local. Essas tecnicas utilizadas pela empresa foram ideais para que a inteligência artificial conseguisse prever com precisão as inundações.

    Os sistemas de alerta precoce podem ajudar significativamente a reduzir as mortes, e ter mais tempo de espera é extremamente útil para as comunidades. Com estas tecnologias, alargámos, em média, a fiabilidade das previsões globais atualmente disponíveis de zero para cinco dias”, disse a empresa.

    Embora os modelos tenham alcançado “alta precisão em localizações muito específicas”, o objetivo do Google é expandir essas técnicas para solucionar o problema em escala global. A empresa conseguiu prever algumas inundações com até sete dias de antecedência, embora a média tenha sido de cerca de cinco dias.

    Com essa tecnologia, o Google conseguiu fornecer previsões precisas de inundações em 80 países, abrangendo uma população total de 460 milhões de pessoas. Essas previsões foram disponibilizadas no Google Search, Google Maps e por meio de notificações no Android.

    Foto: Divulgação/Google

    “Fomos capazes de utilizar previsões baseadas em inteligência artificial para melhorar as previsões em regiões da África e da Ásia para serem semelhantes às que estão atualmente disponíveis na Europa”, destacou o Google sobre o progresso do recurso revelado nesta semana.

    A empresa revelou em publicação feita no blog oficial que utilizará as pesquisas e o desenvolvimento das redes de memória de longo e curto prazo (LSTMs) para dar inícios à concepção de uma plataforma voltada para o assunto. O objetivo é criar uma rede global de previsão de inundações com dados confiáveis.

    Fonte: Google

    Share.