Bixby / Bixby Galaxy AI
    Créditos: Reprodução/Veja

    Galaxy AI chegou com pompa e circunstância no Galaxy Unpacked, prometendo revolucionar a experiência dos usuários Samsung com inteligência artificial on-device e na nuvem. Mas isso significa o fim de Bixby, o assistente digital da marca há alguns anos? A resposta surpreende: não. Bixby não só permanecerá ativo, como coexistirá com o recém-chegado Galaxy AI.

    Anunciado em novembro de 2023, o Galaxy AI promete “comunicação sem barreiras, produtividade simplificada e criatividade sem limites“. Integrado ao novo Galaxy S24, ele responde perguntas, edita imagens e muito mais. Com funções semelhantes às de Bixby, era de se esperar que o assistente sumisse de cena. Mas a Samsung tem outros planos.

    Galaxy S24: tudo sobre os novos celulares premium e com IA da Samsung

    Bixby, embora útil, perdeu um pouco de espaço nos últimos anos com a chegada de assistentes como Alexa e Google Assistant em dispositivos Samsung. Com o Galaxy AI, parecia que seu destino estava selado. No entanto, a empresa coreana surpreendeu ao confirmar a continuidade e evolução de Bixby.

    Durante uma sessão de perguntas e respostas, a Samsung foi enfática: Bixby seguirá ativo e conviverá com o Galaxy AI. Mais que isso, o assistente continuará a se desenvolver.

    Segundo a empresa, Bixby pode ser visto como um recurso dentro do Galaxy AI. Já na CES 2024, a Samsung mencionou que a inteligência artificial ajudaria na integração entre SmartThings e Bixby. Um exemplo: Bixby poderá direcionar comandos automaticamente para o dispositivo mais adequado, considerando sua localização e atividades.

    Essa coexistência levanta questões. Como Bixby e Galaxy AI se diferenciarão? Haverá sobreposição de funções? A Samsung ainda não deu detalhes completos, mas garante que cada assistente terá seu espaço. Bixby se concentrará em tarefas mais pessoais e contextuais, enquanto o Galaxy AI fornecerá uma experiência holística de inteligência artificial no ecossistema Samsung.

    A decisão da Samsung é ousada. Manter dois assistentes digitais pode gerar confusão para os usuários. Mas, por outro lado, oferece opções e evita a dependência de um único sistema. Só o tempo dirá se a estratégia dará certo, mas uma coisa é certa: a guerra dos assistentes inteligentes nos smartphones está longe de acabar, e a Samsung está jogando um jogo interessante.

    Fonte: Wccftech

    Share.