Rede social X Twitter / Musk X bonus
    Créditos: Kelly Sikkema/Unsplash

    O X, anteriormente conhecida como Twitter, enfrenta mais um processo judicial. Desta vez, o X de Elon Musk sofre uma alegação de não pagamento de milhões de dólares em bônus anuais a seus funcionários. A Justiça Federal estudinense autorizou que o processo siga em frente.

    A ação foi movida em junho por Mark Schobinger, ex-chefe de compensação da empresa, em nome dele mesmo e de milhares de outros funcionários atuais e ex-funcionários. Os demandantes acusam o X de descumprir promessas verbais de que todos os funcionários que estivessem na empresa em 1º de janeiro de 2023 receberiam uma parte de seus bônus anuais.

    Veja: Grok, a IA de Elon Musk, dispara críticas: “Transformou o Twitter em uma lixeira”

    O valor total devido supera os US$ 5 milhões, de acordo com o processo judicial. Em um comunicado ao portal Business Insider, a advogada da parte autora, Shannon Liss-Riordan, afirmou que os bônus devidos chegam a “dezenas de milhões de dólares“. “Estimamos que cerca de dois mil funcionários teriam direito aos bônus“, acrescentou.

    Na sexta-feira (22), a juíza responsável pelo caso rejeitou os pedidos dos advogados do X de arquivar o caso. Os advogados argumentaram que a empresa não poderia ser forçada a cumprir contratos verbais entre Schobinger e a antiga direção.

    No entanto, a juíza escreveu que o caso de Schobinger “plausivelmente afirma uma violação de contrato” sob a lei do estado da Califórnia. “Uma vez que Schobinger fez o que a X pediu, a oferta da empresa de pagar a ele um bônus em troca se tornou um contrato vinculativo sob a lei da Califórnia. E ao supostamente se recusar a pagar a Schobinger seu bônus prometido, o X violou esse contrato“, afirmou a juíza.

    Veja: X/Twitter: como denunciar uma conta

    O processo alega que a administração do Twitter – agora X – prometeu aos funcionários que eles receberiam 50% de seu bônus anual de 2022 se permanecessem na empresa durante a aquisição de Elon Musk, finalizada em outubro de 2022.

    Os bônus anuais geralmente são pagos no primeiro trimestre do ano seguinte, segundo a Forbes. De acordo com Schobinger, esses pagamentos nunca aconteceram.

    Os advogados do X argumentaram que este contrato verbal não se sustentava sob a lei do Texas, onde eles alegaram que o caso deveria ser julgado. Mas a juíza determinou que o caso seria regido pela lei da Califórnia e, independentemente da lei estadual, todos os pedidos de arquivamento “falharam”.

    Schobinger se demitiu em maio e disse que o X “renegando várias promessas feitas aos funcionários“, incluindo o não pagamento dos bônus de 2022, foi a causa, de acordo com a queixa.

    A decisão da Justiça Federal norte-americana adiciona mais um processo ao crescente número de problemas legais do X. A empresa enfrentou vários processos nos últimos meses por atrasos de pagamentos de aluguel e outros serviços, bem como processos infrutíferos de funcionários que foram demitidos ou se retiraram logo após a aquisição de Musk.

    Fonte: Insider

    Share.