Créditos: Divulgação/NASA

    Após cinco meses sem enviar dados inteligíveis, a sonda espacial Voyager 1, a mais distante da Terra, retomou contato com a NASA, informou a agência espacial americana nesta terça-feira (23). A falha foi causada por um problema em um dos computadores da espaçonave, que foi corrigido com sucesso pela equipe de engenharia.

    A Voyager 1, lançada em setembro de 1977, está atualmente a mais de 24 bilhões de quilômetros da Terra. Devido à sua grande distância, as mensagens que ela envia levam 22,5 horas para chegar ao nosso planeta. Apesar disso, os dados recebidos pela NASA indicam que a espaçonave está em boas condições e que seus sistemas estão funcionando corretamente.

    A Voyager 1 está fornecendo dados úteis sobre a saúde e o status de seus sistemas de engenharia a bordo“, disse a NASA em um comunicado. A agência espacial americana também informou que o próximo passo será “fazer com que a espaçonave comece a enviar dados científicos“.

    A Voyager 1 foi a primeira sonda espacial a viajar para o espaço interestelar, em 2012. Desde então, ela tem enviado informações valiosas sobre as condições do meio interestelar, como a presença de gás, poeira e campos magnéticos.

    Astrônomos descobrem o buraco negro mais pesado da Via Láctea

    Em março de 2024, a equipe de engenharia da Voyager no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA (JPL) identificou a causa do problema de comunicação com a espaçonave. A falha estava relacionada a um dos três computadores de bordo da Voyager 1, chamado de subsistema de dados de voo (FDS).

    A investigação revelou que a corrosão em um chip do FDS impediu que os computadores do sistema de dados acessassem um segmento vital do código de software usado para empacotar informações para transmissão de volta à Terra.

    Para solucionar o problema, os engenheiros da NASA transferiram o código afetado para locais diferentes na memória do computador da sonda. Essa solução alternativa permitiu que a Voyager 1 retomasse a comunicação com a Terra.

    NASA confirma que eclipse solar pode queimar câmeras do celular

    A Voyager 1 partiu da Terra em 5 de setembro de 1977, alguns dias depois de sua nave irmã, a Voyager 2. A missão principal das duas sondas era estudar os planetas gigantes do Sistema Solar: Júpiter, Saturno, Urano e Netuno.

    Após completar essa tarefa em 1989, as Voyagers seguiram em direções diferentes. A Voyager 1 foi direcionada para o espaço interestelar, enquanto a Voyager 2 continuou a explorar os confins do Sistema Solar, incluindo o Cinturão de Kuiper e o espaço além de Netuno.

    Ambas as sondas ainda estão operando e enviando dados valiosos para a Terra. A Voyager 1 já percorreu mais de 24 bilhões de quilômetros do nosso planeta, enquanto a Voyager 2 já ultrapassou a marca de 20 bilhões de quilômetros.

    As Voyagers são consideradas marcos históricos da exploração espacial e continuam a inspirar novas gerações de cientistas e engenheiros. As descobertas feitas por essas sondas nos ajudaram a entender melhor o nosso lugar no Universo e a ampliar os limites do conhecimento humano.

    Fonte: NASA

    Share.