Imagens impactantes compartilhadas por um indivíduo em um grupo de redes sociais sul-africano têm gerado um frenesi de preocupação e medo na população virtual. As fotografias, que parecem retratar criaturas alienígenas, foram capturadas em Still Bay, Western Cape, pelo cidadão Jan Vorster, que se mostrou surpreso com a reação das pessoas.

    As fotografias em questão exibem criaturas marinhas que ostentam aparência extraterrestre e evocam a lembrança do clássico do cinema “Tubarão”. O medo em relação a tais seres é compreensível, e a circulação das imagens tem estimulado reações intensas por parte do público.

    Voster, que é um agricultor de 62 anos de idade, recentemente, postou fotos de plantas de aloe vera mortas, alinhadas como se fossem monstros com tentáculos invadindo a costa, em um esforço para chamar a atenção para a degradação ambiental. A aloe vera é uma suculenta perene altamente valorizada por suas propriedades curativas.

    O que na verdade são as ‘criaturas’ rastejantes?

    Em entrevista ao Kennedy News, Vorster expressou sua expectativa de que o conteúdo divulgado seria recebido com bom humor, mas a resposta recebida foi bastante grave e preocupante, com muitas pessoas demonstrando medo e receio frente às imagens.

    As fotos foram capturadas ao nascer do sol na praia, onde as plantas alinhadas lembravam formas sobrenaturais. O agricultor postou as imagens no Facebook, com a intenção de evocar uma metáfora sobre como as pessoas enxergam as plantas como alienígenas, quando na verdade somos nós, os humanos, os alienígenas que bagunçam o mundo natural.

    Em suas próprias palavras: “Essa era a ideia”, disse Vorster, que esperava aumentar a conscientização sobre os impactos ambientais das atividades humanas.

    Embora a intenção de Vorster tenha sido nobre, o resultado foi inesperado, e as fotos geraram uma série de reações hilárias e confusas nas redes sociais.

    A reação foi tão grande que as pessoas começaram a pedir para que as criaturas voltassem para o oceano e até mesmo imploraram para que Vorster ajudasse a resolver o problema. O fotógrafo tentou explicar a situação, mas acabou piorando as coisas e sendo criticado por ter “enganado” as pessoas.

    Voster, no entanto, fez questão de manter sua mensagem e incentiva a reflexão sobre as práticas ambientais que podemos adotar para preservar a natureza e as plantas que nos cercam.

    Apesar do mal-entendido, o agricultor esperou que sua atitude tenha ajudado a criar conscientização ambiental no futuro, mantendo o foco em questões relacionadas à natureza.

    Share.